Cronologia

1123 – 1699

Contextualização Histórica

1123 – Surge as primeiras referências escritas a cobranças de caráter aduaneiro no Porto ao foral do Bispo D. Hugo.

1254/1255 – Com a expansão do comércio para norte e após vários conflitos entre burgueses e o senhorio episcopal do Porto surge a Alfândega enquanto dispositivo do poder central.

1320 – Durante os conflitos, o rei D. Afonso IV ordenou fazer o "almazém" e "allfandega", criando casa própria para resguardo das mercadorias.

1335 – Após vários protestos e conflitos, nesta data encontram se construídas as casas do “almazem” para servirem de Alfândega, atual Casa do Infante.

1400 – Ao longo dos anos foram realizadas obras de ampliação e reconstrução. Com especial relevo a realizada nos inícios de 1400, no reinado de D. João I, a abertura da “Rua Nova” (atual rua Infante D. Henrique)

1410 – D. João I concedeu um novo foral para a reorganização do serviço alfandegário.

1517 – Confirmação dos direitos do rei sobre a dízima alfandegária no foral de D. Manuel.

1535 – O Rei D. João III emite o Regimento para tornar a instituição moderna e capaz de corresponder ao incremento comercial aberto pelas ligações com o Brasil.

1668 – Uniformização do regime aduaneiro do Reino após a restauração da independência